Projetos de Ergonomia



O que é Ergonomia?


“Ergonomia é o estudo do relacionamento entre o homem e seu trabalho, equipamento e ambiente e, particularmente, a aplicação dos conhecimentos de anatomia, fisiologia e psicologia na solução dos problemas surgidos desse relacionamento”.
Ergonomics Research Society.

“A Ergonomia objetiva modificar os sistemas de trabalho para adequar as atividades nele existentes às características, habilidades e limitações das pessoas com vistas ao seu desempenho eficiente, confortável e seguro”.
ABERGO (Associação Brasileira de Ergonomia).

É o estudo da adaptação do trabalho ao trabalhador!


Observa-se que a adaptação ocorre do trabalho para o homem. Isso significa que a ergonomia parte do conhecimento do homem para fazer o projeto do trabalho, ajustando-o às capacidades e limitações humanas.Na visão da Ergonomia, o trabalho abrange não apenas o mobiliário, as máquinas e os equipamentos utilizados pelos trabalhadores, mas também toda a situação em que ocorre relacionamento entre o homem e seu trabalho. Isso envolve não somente o ambiente físico, mas também os aspectos cognitivos e organizacionais.

Ergonomia física contempla: Anatomia humana, antropometria, fisiologia, biomecânica, estudo das posturas no trabalho, movimentação manual de cargas, LER / DORT, projeto de posto de trabalho, condições ambientais, etc.

Ergonomia Cognitiva contempla: Processos mentais de trabalho, estudo da carga mental de trabalho, relações interpessoais, tomada de decisão, desempenho especializado, interação homem-máquina, stress e treinamento (capacitação), etc.

Ergonomia Organizacional contempla: Organização temporal do trabalho, exigência de tempo, conteúdo do tempo (tempo produtivo X improdutivo), modo operatório, ritmo de trabalho, trabalho em grupo, normas e procedimentos operacionais, comunicações, cultura organizacional, gestão da qualidade, etc.

Legislação em Ergonomia


A portaria 3751 de 23 de novembro de 1990, através da Norma Regulamentadora n° 17 (NR 17 - ERGONOMIA) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) estabelece os parâmetros mínimos para adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente.

Segundo subitem 17.1.2 da NR-17: "Para avaliar a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, cabe ao empregador realizar a análise ergonômica do trabalho, devendo a mesma abordar, no mínimo, as condições de trabalho conforme estabelecido nesta Norma Regulamentadora.

Nota: Para melhor interpretação desta norma recomenda-se consultar o Manual de Aplicação da NR-17, desenvolvido pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) no ano de 2002. Conforme link abaixo: http://www.mte.gov.br/seg_sau/pub_comissoes_cne_manualdeergonomia.pdf

Por que investir em Ergonomia?


1 - Ergonomia é lei!
2 - Segundo o INSS, as LER / DORT já estão entre as principais causas de afastamentos do trabalho no Brasil;
3 - A ausência da Ergonomia gera custos com:
   - Assistência médica
   - Afastamentos
   - Treinamento nas substituições
   - Atividades industriais paralisadas
   - Problemas de produtividade
   - Causas na justiça trabalhista (geralmente de custo elevado)
4 - NTEP (Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário):
O ônus da prova em casos de distúrbios e doenças do trabalho agora é do empregador!
5 - O valor do SAT (Seguro Acidente do Trabalho):
Empresas que investem em Segurança e Saúde Ocupacional e comprovam efetivo controle dos riscos ocupacionais, terão o valor do SAT diminuído até a metade do valor pago atualmente (a partir de 2010);
6 - Em grande parte dos casos o custo de não fazer (Ergonomia) se torna maior do que o custo de se fazer;
7 - Estar resguardada em caso de fiscalização de órgãos públicos (Superintendências Regionais do Trabalho, Ministério Público, etc.) e auditorias de SMS de grandes empresas contratantes de produtos e serviços (ex.: Petrobrás e Vale);
8 - Certificações de Qualidade, Segurança e Saúde (séries ISO 9000, BS 8800 e OHSAS 18000);
9 - Além disso, o investimento em Ergonomia gera retorno significativo em médio prazo.

Serviços Oferecidos


Análise Ergonômica do Trabalho - AET

De acordo com o Manual de aplicação da NR-17, elaborado pelo Ministério do Trabalho e Emprego - MTE, em 2002, uma análise ergonômica deve ser composta, minimamente, das seguintes etapas:

1. Análise da demanda e do contexto
2. Análise global da empresa
3. Análise da população de trabalhadores
4. Definição das situações de trabalho a serem estudadas
5. Descrição das tarefas
6. Pré-diagnóstico
7. Observação sistemática
8. Diagnóstico
9. Validação do Diagnóstico
10. Sugestões de melhorias
11. Cronograma de implementação das medidas de melhoria
12. Acompanhamento da implementação das medidas de melhoria

Auditoria da NR 17

Serviço que tem a proposta de avaliar o percentual de conformidade (total e parcial) e de não conformidade com a norma regulamentadora de Ergonomia (NR-17) e seus anexos (1 e 2). De forma rápida e eficiente, fornece uma visão objetiva da adequação legal de postos ou ambientes de trabalho.

Intervenções ergonômicas no projeto de ambientes e postos de trabalho

Conhecida também como Engenharia de Fatores Humanos ou Ergonomia de Concepção, consiste numa atuação interdisciplinar na qual o consultor de Ergonomia atua junto a profissionais envolvidos no projeto de postos e ambientes de trabalho, avaliando possíveis fatores de risco ergonômico e potencializando o desempenho humano na execução do trabalho que está sendo planejado, levando em consideração critérios de conforto, segurança e eficiência.

Diagnóstico Ergonômico

Serviço de avaliação e coleta de dados referentes às questões relacionadas à Ergonomia através da aplicação de ferramentas específicas com o objetivo de identificar os principais riscos ergonômicos e mapear os setores mais críticos da empresa.

Programa de Ergonomia - PROERGO

O Programa de Ergonomia - PROERGO responde à necessidade de conjugar os vários esforços das empresas com a qualidade de vida de seus colaboradores, a confiabilidade de seus processos, a redução do custo com condições inadequadas de trabalho, bem como a implantação e manutenção de padrões de qualidade e excelência.

A Ergonomia atua na melhoria do ambiente de trabalho seja na conscientização dos trabalhadores, no projeto ou na adequação do ambiente, postos de trabalho, máquinas, equipamentos ou na própria organização do trabalho, contribuindo de forma significativa para o aumento de produtividade.

Possibilita à empresa uma efetiva absorção do “know-how” de identificação, gerenciamento e solução dos problemas ergonômicos. Integrado a programas já existentes, como o PCMSO e o PPRA, o PROERGO depende de alguns fatores para que alcance o sucesso desejado, são eles:

- Apoio da alta gerência;
- Participação ativa dos trabalhadores;
- Treinamento adequado;
- Correta estruturação administrativa;
- Acompanhamento periódico dos resultados;
- Avaliação de agentes ambientais segundo critérios de conforto.

A NR-17 estabelece parâmetros diferentes dos utilizados em Higiene Ocupacional para locais de trabalho onde são executadas atividades que exijam solicitação intelectual e atenção constante, tais como: escritórios, salas de controle e laboratórios.

Palestras em Ergonomia e Saúde Ocupacional

Prevenção de distúrbios Osteomusculares relacionados ao trabalho (LER/DORT); Qualidade de vida; Movimentação Individual de Cargas; Exercícios Preventivos; dentre outras

RUA SENADOR DANTAS, 117 | SALA 838 | CENTRO | RIO DE JANEIRO | RJ | +55 21 3178-1143 / 21 2220-1562